Fundação

Apesar de ficar praticamente invisível ,enterrada, embaixo da construção, a fundação é uma das partes mais importantes de uma casa, afinal, é essa a base que sustentará o peso das paredes, pilares, vigas, lajes e coberturas mantendo todo esse conjunto bem plantado no terreno, portanto, o cuidado no projeto e na execução das fundações, garante a economia da obra e a segurança de viver num lugar inabalável.
Sua execução acontece numa das primeiras etapas da obra e embora com tanta escavação, sujeira e maquinário, tem enorme importância.
O Método mais usado e o Standard Penetration Test (SPT), que  tem a cada metro, a retirada uma amostra para estudo do solo por um geólogo que fará o histórico do terreno.
A Associação Brasileiras de Normas Técnicas (ABNT) criou categorias para poder avaliar os tipos  de solos. São eles: Rochosos, arenosos, siltosos e argilosos, mas os engenheiros mais renomados colocam que em sua maioria, os terrenos são mistos.
Em terrenos mais resistentes, indica-se o uso de fundações rasas ou diretas, com Sapata Isolada, que ficam abaixo dos pilares da edificação, Sapata Corrida que utilizam o mesmo fundamento, mas se diferencia por estruturar as paredes em toda sua extensão ou Laje Radier que se estende por toda área construída e serve como contra-piso.
Para fundações mais profundas são utilizadas BROCAS que são furadas manualmente e preenchida com vergalhões e concreto alcançando até 6 metros sem a garantia de atingir o solo rígido;
A ESTACA STRAUSS também é preenchida com ferragem e concreto, mas atinge de 10 a 15 metros com uso de maquinário leve;

ESTACA PRÉ-MOLDADA DE CONCRETO, já está pronta e é fixada no solo por meio de um bate-estaca, podendo atingir de 5 a 12 metros, de acordo com a necessidade;

TUBULÃO A CÉU ABERTO trata-se de formas cilíndricas com base larga que atinge grandes profundidades e é preenchido com concreto armado, indicado pra grandes cargas e restrita a solos rígidos e com ausência de água;

HÉLICE CONTÍNUA trata-se de um equipamento semelhante a um “saca-rolha” , que depois de perfurar o solo, injeta concreto por um tubo central na medida que a mesma é retirada;

As ESTACA DE MADEIRAS são utilizadas em casos específicos de áreas alagadas com duração média de 8 a 10 anos tendo o eucalipto como madeira mais usada, sua carga é determinada pela espessura de cada haste;

Por fim as ESTACAS DE AÇO em forma de “H”, geralmente utilizadas em edifícios, mas com aplicação em residências onde o solo é muito mole e as facilidades de manuseio, cravação, emenda e diversidade no comprimento otimizam o tempo de instalação não sendo recomendadas para lugares que tenha contato com água.

(Fonte: Revista Arquitetura & Construção)

Esses são alguns dos tipos de fundação e como podemos ver, o tipo de solo e as condições ambientais são importantes nessa fase, lembrando que a construção com TIJOLO ECOLÓGICO pode ser feita com qualquer tipo de fundação. Consulte um profissional especializado e comece a construir.

Voltar