Como Curar

Os Tijolos Ecológicos são prensados, não poluem o meio ambiente e o seu processo de cura utiliza pouca água, sendo que toda esta umidade evapora e retorna à atmosfera de forma limpa.

O SISTEMA DE CURA dos Blocos, Tijolos e Pisos Ecológicos é feito por umedecimento (molha), isto é, por aspersão manual, mecanizada, automatizada e por imersão. Mas é importante destacar, que em qualquer uma das alternativas citadas , deve-se manter as peças na cura umedecida por 7 dias.

SISTEMA DE MOLHA (CURA) MANUAL

01_1
A cura por meio de molha aspersão manual deverá ocorrer em local de preferência coberto com proteção da chuva, sol e do vento excessivo para que a umidade não evapore prematuramente.

  Esse método pode ser feito através de mangueira, regador e outros objetos similares, ocorrendo no mínimo 03 (três) vezes ao dia. Ao iniciar esse processo de molhar deve ser do tipo chuvisco fino e leve, tomando os cuidados necessários para que nas primeiras horas a água adicionada sobre o produto não seja forte demais para não afetar a qualidade do mesmo.
Se a molha for forte tende a ocasionar pequenos defeitos inclusive, suas faces podem ficar mais ásperas, como também afetar de alguma forma sua resistência, tirando um pouco da compresão exercida sobre o produto. Após umas doze horas do início da cura, os Blocos e Tijolos Ecológicos ganham mais resistência, desta forma a adição da água pode ir aumentando gradativamente ficando até mesmo mais forte. A pessoa deve sempre se preocupar com a qualidade, para isso não deve faltar umidade no produto prensado.
     Obs. As peças devem ser mantidas úmidas através de sucessivas molhagens a cada 2 horas. Isto pode variar de acordo com o tipo do solo utilizado, fique atento a considerações citadas.

SISTEMA DE MOLHA (CURA)
POR ASPERSÃO MECANIZADA MANUAL OU  AUTOMÁTICA.

02_1

 

 

A cura por meio de molha aspersão mecanizada pode ser feita através de bico aspersores (utilizados para passar veneno ou para molhas em galinheiros, e entre outros), uma espécie de sistema de nevoa de água. O processo ocorre através de mangueiras ou canos elevados e distribuídos com vários bicos aspersores fixados e ajustados para que fique em cima do produto a ser umedecido, quando aberto o registro da rede de água vaporizam penetrando levemente nos Blocos, Tijolo ou Pisos ecológicos.

 

 

 

Trata-se de um sistema barato e de fácil instalação, que dispensa ficar regando. Deve ocorrer no mínimo 3 vezes ao dia.

Basicamente é o mesmo sistema  mecanizado, a diferença consiste na aquisição de um sensor de umidade e calor (falta de umidade), que será acionado automaticamente conforme o ajustado, para manter a umidade sempre que necessário (úmido).

SISTEMA DE MOLHA (CURA) POR IMERSÃO

Em uma área plana e coberta após a prensagem, os produtos fabricados devem ser estocados em paletes a uma altura máxima de 1,5 metros para cura, este empilhamento deve ser firme para movimentações por carros transportadores, empilhadeiras, pórticos, ponte rolante, e entre outros. Após serem prensados e empilhados, se o produto estiver secando rapidamente, deverá ser molhado levemente após umas doze horas da compactação (prensagem).
Os Blocos e Tijolos Ecológicos serão imergidos (mergulhados) dentro de um tanque por no mínimo 2 minutos e no máximo 30 minutos, o tempo de imersão depende do tipo de solo utilizado. Por isso recomendamos que você faça um teste: após tirar o tijolo da água reparta-o para ver se a umidade atingiu o meio do tijolo. Faça vários testes com tempos diferentes, assim que encontrar o tempo ideal de imersão do seus tijolos ecológicos. E não esqueça que um tijolo ecológico bem curado possui mais resistencia e qualidade.
Após ficar emergido no tempo determinado acima, deve-se erguer o palete do tanque deixando escorrer o excesso de água e fazer o acondicionamento deles em um espaço. Deve-se cubrir o produto com lona preta de preferência para que a umidade fique estanque, por um período aproximado de 7 dias, depois deste processo retirasse a lona e se houver necessidade, deixe no tempo.
Trata-se de um sistema com o custo um pouco mais elevado, por demandar mais equipamentos para seu transporte e processo, mas é considerado mais eficiente em relação a redução do tempo e qualidade do produto final, por deixar a umidade sempre uniforme. Mesmo sendo um processo avaliado de forma positiva, é menos utilizado por exigir maior aporte financeiro.
Assista o vídeo de demostração abaixo.

Em relação aos Pisos Ecológicos dependendo do traço e da resistência exigida, se adicionar mais cimento a tendência é que a umidade seja absorvida rapidamente. Desta forma, a adição de água deverá ser freqüente para que não entre em estado febril, ou seja, resseque. Além disso, com a falta de água o piso poderá perder sua resistência, fazendo com que o cimento não reaja de acordo com o solo.
     Obs. Isto também pode variar de acordo com o tipo do solo utilizado, fique sempre atento.

Voltar